Arquivo para abril \29\UTC 2011

29
abr
11

A Polêmica do Vazamento das Cartas de New Phyrexia

Recentemente, foi alardeado o vazamento de todas as cartas de New Phyrexia. Como editor primário (mas não único) de Magic do Lixão, não postei nada sobre o vazamento por saber que ele ia contra a política da Wizards, e principalmente por considerar que é muito mais legal conhecer as cartas uma por uma, como acontece em todas as expansões.

O que eu vi

Saí para um feriado offline (de Páscoa) e quando voltei haviam prints oficiais das cartas em inglês. Todos já sabiam quais eram todas as cartas da expansão. Olhei o site do Magic para ver o que eles mostravam, e lá estava o spoiler completo, que eles resolveram chamar de “Card Image Gallery” dessa vez.

Em qualquer outra expansão, esta página começa com poucas cartas, e vai sendo preenchida conforme os destaques da expansão vão sendo mostrados nos vários canais: no próprio site, com 3 artigos diários, no twitter, no facebook e em outros veículos. Dessa vez todas as cartas estavam lá, para todos verem.

Os artigos também mostravam que o spoiler já estava completo, e sempre faziam referência à Image Gallery, mais explicitamente do que de costume. Estava jogada fora a magia da coisa.

O que foi revelado

Em uma nota, a Wizards explicou o que aconteceu. Dois jogadores: Guillaume Matignon e Guillaume Wafo-Tapa. Eles jogaram as finais do Campeonato Mundial, sendo Guillaume Matignon o vencedor. Nas páginas de cobertura do Campeonato, ainda é possível ver os profiles dos jogadores que foram ao Top-8.

A nota explica que Matignon é escritor da revista francesa Lotus Noir, por isso teve acesso ao Godbook da expansão, a lista confidencial das cartas que serão lançadas, para escrever um artigo falando de New Phyrexia. A nota apresenta uma declaração dele dizendo que decidiu compartilhar a lista com Wafo-Tapa, que é seu amigo, para acrescentar a opinião dele ao artigo. Ele também diz que não tem palavras para expressar o quanto sente e que

“Se um único jogador deixar o jogo, devido a este vazamento, um único booster deixar de ser vendido, será minha culpa”.

A nota termina dizendo que Matignon foi suspenso da DCI por 3 anos, e que Wafo-Tapa e outros dois jogadores foram suspensos até outubro de 2012.

Veja a nota completa neste link.

19
abr
11

Mecânicas de Nova Phyrexia

Foi publicada ontem a lista de mecânicas que virão em Nova Phyrexia, incluindo alguns spoilers de cartas. Algumas mecânicas do bloco foram repetidas e apenas ampliadas, mas outras coisas novas vieram mudar algumas coisas no Magic.

Mecânicas que continuam

Metalcraft foi expandido para Feitiços e Mágicas Instantâneas. O único lembrete é que a mágica só checa pela quantidade de artefatos na hora da resolução, então seu oponente tem uma chance de se livrar dos seus artefatos. Infect apareceu em novas cores, talvez em todas. Obviamente mais caro, com o objetivo de demonstrar que Phyrexia agora abrange todas as cores e não apenas preto e verde. Proliferate não teve mudanças, nem Living Weapon.

Mecânicas novas

Primeiro, há um ciclo de golens. Algumas cartas criam fichas de golem e dão habilidades a todos os golens, algo parecido com os fractius.

Os Artefatos coloridos estão de volta, assim como os de Fragmentos de Alara. A diferença é em relação à única mecânica realmente nova, que vem em todos os artefatos coloridos: a mana phyrexiana.

Mana phyrexiana é um símbolo de mana que tem a insígnia de Phyrexia nele. Ele pode ser pago tanto com mana da cor do símbolo quando com 2 pontos de vida. Pela primeira vez, o Magic leva em conta a cor do elemento em vez do símbolo desenhado. Veja ao lado o card Surgical Extraction, que aparece na página de informações da expansão.

Os designers do Magic estão te pedindo para levar em conta as cores da borda da carta, e a suposta cor do símbolo de mana. Se ele estivesse em um artefato, não poderíamos dizer que é um símbolo preto ou incolor (veja o exemplo do card Trespassing Souleater no artigo).

Achei estranho e errado a concepção dos símbolos de mana phyrexianos, mas acho que a mecânica em si (trocar uma mana por 2 pontos de vida) é muito boa e reflete o espírito de Phyrexia. Mas esta é a minha opinião pessoal. Qual é a sua? Comente aí!

14
abr
11

review: 009-1

0091No meio de uma guerra fria num tempo hipotético(uma espécie de “versão futurista do passado”), organizações nos dois blocos(Oriental e Ocidental) recrutam pessoas para se tornarem espiões andróides. Esse é o caso de Mylene Hoffmann, a agente 009-1 do bloco Ocidental. Com um corpo meio humana e meio máquina, ela possui até metralhadora nos seios.

A série, embora seja de 2006, dá a impressão de ser bem mais antiga. O próprio traço parece ultrapassado. No início até me incomodei um pouco, mas depois vi que isso dava um aspecto único ao anime.

O fato de serem apenas 13 episódios me agradou. Não tenho mais paciência para assistir aquelas longas séries Shonen(Saint Seiya, Dragon Ball, etc). Por isso não esperem ver reviews meus de animes como Bleach ou Naruto Alegre

Abertura

Costumo dizer que uma boa abertura é essencial pra eu assistir um anime. Acho que isso vem da minha infância, quando assistia tokusatsu na Manchete(como esquecer a abertura do Jaspion? :D). Nesse quesito, 009-1 se destaca. Por ser um anime curto, possui apenas uma abertura, que vocês podem conferir abaixo:

Os episódios (atenção! spoilers!)

O anime apresenta diversas analogias ao nosso mundo. No primeiro episódio, as agentes da organização 00 devem salvar um cientista que é a cara do Einstein. Recheado de ação, com um pouco de sensualidade(bem longe das apelações de Agente Aika), e um momento de desespero no final, o episódio piloto me empolgou bastante. Esse episódio também mostrava Mylene seduzindo um homem para matá-lo depois, fato que ocorreu outras vezes na série.

Do segundo ao décimo episódio, temos menos ação e mais espionagem e drama. No segundo episódio, por exemplo, nos deparamos com o caso de uma menina paranormal que faz as pessoas por perto se matarem. O interessante é que é revelado, no final, que ela não matava ninguém. Na verdade ela era uma espécie de “espelho” para as pessoas. Assim, quem queria matá-la  acabava se matando. O tema paranormalidade volta para a excelente sequência final da série(últimos 4 episódios), quando várias crianças mutantes são usadas para disparar armas nucleares desativadas.

Obviamente o final teria que ter um clássico toque japonês, quando Mylene descobre que um inimigo do bloco Oriental é na verdade Paul, seu irmão que ela pensava ter morrido quando criança(durante a fuga dela e sua família para o bloco Ocidental).

Avaliação Geral: 8,5

13
abr
11

the ladies of mortal kombat

Daqui uma semana sai o novo Mortal Kombat e, como parte da campanha de marketing, foram lançados vídeos de cosplays das lutadoras Mileena, Kitana e Sonya.

Em comemoração ao retorno dos fatalities, e inaugurando a categoria cosplay, trago-lhes esses vídeos. Qual vocês mais gostaram? Eu voto na Mileena Smiley de boca aberta

 

Para mais vídeos sobre o novo Mortal Kombat, acessem MKCommunityManager

11
abr
11

review: crysis 2

crysis2xbox360cover

O primeiro Crysis foi lançado no final de 2007 e se tornou, de imediato, uma das principais ferramentas de benchmark para PCs. Os gráficos e a física do jogo eram tão elaborados que o jogo se tornou inviável nos consoles. Por isso, quando Crysis 2 foi anunciado para consoles, muita gente ficou com um pé atrás. Mas a Crytek, sabida, disse que agora a batalha era na “selva urbana” de Nova York. Obviamente isso era uma gambiarra para que o jogo pudesse rodar em concoles. Isso porque não teríamos mais os efeitos quando passávamos pelas plantas, derrubávamos coqueiros(uma das coisas que eu mais gostava no primeiro jogo Alegre), etc.

No entanto, mesmo sem a ilha paradisíaca, o jogo gerou grandes espectativas, com promessas de que teríamos os melhores gráficos para consoles.

A versão que joguei, para Xbox 360, realmente impressinou. Ótimas texturas, efeitos de luz de babar, sombras em uma boa resolução e um framerate decente. Mas a resolução me deu um pouco de raiva, deixando, muitas vezes, a impressão daquele “chiado” de TV analógica.

briga de fanboys

Como em todo bom jogo multiplataforma, a briga entre os fanboys de cada plataforma esquenta. Depois que o IGN divulgou que a versão do xbox tinha ficado melhor e ainda deu o título de “melhores graficos em um console”, muitos sonystas se revoltaram. Talvez essa revolta tenha origens no passado, quando a Crytek afirmou que estava tendo dificuldades com a versão para xbox.

Pessoalmente, acho que Uncharted 2 ainda é o jogo mais bonito da geração(estou falando no sentido não técnico). Mas, em se tratando de jogos multiplataforma, terei que concordar com o IGN

campanha single player

Diversos jogos do gênero, como Call of Duty e Battlefield, tem uma campanha single player como um adendo ao principal atrativo do jogo: o modo multi player. Mas, ao contrário de Battle Field Bad Company 2, o single player de Crysis 2 é de babar.

No início parece que estamos jogando um FPS normal, mas com os poderes da nanosuit(bem mais acessíveis que no primeiro jogo). Mas quando os ETs entram na briga, as batalhas nos tiram o fôlego. Embora a quantidade de inimigos não seja grande, as várias opções nas batalhas empolgam bastante.

Com uma duração por volta de 10 horas, Crysis 2 tem facilmente um dos melhores single player em FPSs da atualidade.

notas

Som – 8

Gráficos – 9

Gameplay – 10

Campanha – 9

Avaliação geral – 9

10
abr
11

Como um nerd “escolhe” uma namorada ?

10
abr
11

sucesso:Eu sou 1337. Parte II